10 Dicas para quem está aprendendo a programar em Angular 2

Angular 2 é um framework front-end de criação de aplicativos relativamente novo. Sua versão final foi lançada no fim do ano passado como o sucessor do Angular 1. Apesar disso, Angular 2 não é a continuação do Angular 1. O framework foi reescrito, o que gerou até mesmo reações negativas entre muitos desenvolvedores em seu lançamento.
 
 
Esse sentimento surgiu em grande parte da falta de compatibilidade do Angular 2, e a eliminação das APIs de Angular 1. Porém, nem tudo são espinhos. Uma grande vantagem que programadores percebem usando Angular 2 é em lidar com a detecção de mudança. Outra é que Angular 2 pode ser considerado uma forma de construir aplicações que podem potencialmente rodar em qualquer plataforma.
 
Alguns desenvolvedores novatos encontram maior dificuldade em aprender a sintaxe e estrutura do framework. Aqui vão 10 dicas para tentar tornar seus esforços de programador mais proveitosos. Confira:
 
 
1. Saiba usar o Git 
Angular 2 assume que o desenvolvedor se entenda bem com o Git. Dê uma olhada nas instruções de QuickStart para se familiarizar.
 
2. Aprenda Node e npm
Node.js e npm são essenciais para o desenvolvimento em Angular 2. Aprenda-os para que nenhum dos dois se torne um obstáculo ao aprender Angular 2. 
 
3. Use TypeScript 
Enquanto é logicamente possível escrever aplicações em Angular 2 sem TypeScript, isto não é muito inteligente. Alguns até dirão que não é nem realista. Tudo que é convencional em Angular 2 perpassa TypeScript. Melhor também escolher um editor de código para escrever Angular 2 que entenda TypeScript por default (ou via plugin), e desenvolvimento JavaScript moderno (Node/npm).
Visual Studio Code, Atom, ou WebStorm são algumas boas escolhas. 
 
4. Angular 2 tem inúmeras dependências de terceira parte 
A próxima coisa que você precisará entender serão dependências de Angular 2 em zones.js, reflect-metadata, e RxJS.
 
5. Desenvolver em Angular 2 requer um JS loader
O desenvolvimento em Angular 2 irá, na maioria dos casos, requerer o uso de um Js loader moderno. A documentação de Angular favorece o SystemJS, mas o Webpack também deve funcionar.
 
6. Você precisará de CSS Modular
Em algum momento você precisará de CSS Modular. Simplesmente incluir arquivos CSS no index.html não é o tipo de código que escalará rapidamente. 
 
7. Testes são assumidos e opinativos
Angular 2 assume que você escreverá testes, e que provavelmente usará frameworks de teste, como Jasmine e Karma. Essas parecem ser as melhores soluções (e as oficialmente recomendadas) para testar um app em Angular 2. 
 
8. Fique familiar com os arquivos de configuração de Angular 2
Configure, ou no mínimo abra e entenda os seguintes arquivos de pré-configuração:
1. package.json
2. tsconfig.json
3. typings.json
4. systemjs.config.js (ou webpack.config.js)
5. tslint.json
6. protractor.config.js
7. karma.conf.js
 
9. Migrar de Angular 1 para Angular 2 não é trivial
Para quem usava Angular 1, migrar para Angular 2 pode ser difícil. Será preciso aprender várias coisas novas, e as antigas não necessariamente funcionarão com elas. Mas muitas dessas dificuldades são algo que novos desenvolvedores em JavaScript tem que lidar, não importa o framework que eles escolhem.

10. A documentação é sua amiga
Angular uma vasta documentação (https://angular.io/docs/ts/latest/) disponível. Explore e, sempre que possível, fique atento a fóruns e atualizações.
 
Estas são apenas algumas dicas para encorajar a explorar o Angular 2. Sendo uma ferramente com o Google como suporte, a adoção deste framework só tende a expandir, tornando essencial pensar em seu uso para novos projetos.
 
Qualquer dúvida é só falar galera, clique em contato e me envie uma mensagem.
0
Your rating: Nenhum